sábado, 28 de novembro de 2015







APELO



Falta muito par a ver-te...Ah que tormento
Essa finitude dos meus delírios sob o
teu corpo, queria ter-te dentro de mim agora,,,
Nós dois bêbados de vinho e musicas românticas...
A minha língua passando pelo teu queixo
quase te beijando e você sofrendo diante da tortura
de não receber de pronto o beijo na boca...
O calor do quarto se espalhando na nossa
cama,,,Preciso te por louco de novo...Te olhar
nos olhos e te buscar ingenuamente no nosso gozo...
Ah faz amor comigo,,,Come o batom sem apagar a cor...
Deslise as mãos pelo meu corpo, faz amor comigo,
acabe com essa expectação de intimidade...
Olha-me dentro dos olhos e se quiser, podemos
rezar enquanto nos pegamos,...Adoro a tua pegada
Sou tão insaciável de ti...Agora vem e me toma
num prazer manso dentro do nosso quarto, aprecie


a minha nudez e se derrame sobre mim...Amo-te!



Dorothy de Castro

terça-feira, 17 de novembro de 2015

DUPLA FACE




Sou duas ! E o tempo à me bulir
rasga-me a face e me divide em duas
pingando as tintas no tapete ocre
bebo os sabores que ele traz na boca...

Esqueço o repertório desgastado
Onde o falar de amor tão necessário
à sombra da fumaça se perdeu
mas vejo que sou duas nessa vida...

E bipartida e torturada insisto nisso
ser duas e ainda assim ser mascarada
porque gosto de inventar a fantasia
e te apalpar a pele à cada dia...

E o tempo à me bulir diz que sou duas
e no avesso do meu corpo me divido
um pouco em mim um pouco nos porões
e no reverso o verso diz que sim...
Sou duas!


Dorothy de Castro




domingo, 25 de outubro de 2015

ADVINHAS,,,,,,
O SUBITO DESEJO
NA VOLUPIA
DA TUA BOCA
CHEIA DE BATON
A CARIMBAR
MEU CORPO
VENHA SOFREGA
E FAMINTA
COM TUA LINGUA
MACIA E SEDOSA
ALEM DO GOZO ESTETICO
A CADA MOVIMENTO
O IMPULSO
DO CORAÇÃO
NO VAI E VEM
VEM E VAI
VEM,,,,,,,
PARA GOZO MULTIPLO
. ME DILUIR
FICAR LIQUIDO
E ESCORRA A PORRA
PELA TUA GARGANTA
PROFUNDA
ONDE AFUNDA A MORTE
E ABUNDA A VIDA
O ULTIMO SUSPIRO
DEPOIS DO ESPIRRO
ESSA MORTE LENTA
COM CHEIRO DE PLACENTA
ADVINHAS....
A VINHA DA EMBRIAGUES
ONDE O GOZO
SE CONFUNDE
COM A MORTE
ESSE INSTANTE
DISTANTE
QUE NOS LEVA
AO ESQUECIMENTO
DEPOIS DE TUDO

AD.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

PRAZER FELINO




"Meu corpo todo tremeu quando ele meteu a mão dentro da minha calcinha e começou à alisar minhas virilhas...Explorava minha zona do amor com um pouco mais de volúpia e me contava com a voz excitada da saudade que sentia das minhas curvas... Tocou meu clitóris e quase não resisti tamanho era o prazer que experimentava...Os dedos longos desenhavam borboletas na minha pele apertando levemente meu púbis.. Eu gozava escandalosamente em seus dedos, enquanto sentia  seu membro rígido  implorando a minha boca... Parecia um sonho, ali estava o meu homem me fazendo feliz com as manhas que tinha para isso... Usou meu corpo como se o mesmo fosse um piano de onde seus dedos tiravam as mais deliciosas notas... Suguei com fúria apertando entre os lábios seu falo maravilhoso... Arranhei suas costas com prazer mais que felino e depois do gozo intenso ainda fizemos amor com nosso olhar extasiado!"

Dorothy de Castro

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

ALIMENTANDO O AMOR




Gruda-me o corpo como trepadeira
que anseia alimentar-se em mim
assim dessa maneira muito louca
úmida boca a retirar-me a seiva...

As folhas secas desse outono breve
hão de adubar-te da raiz às flores
a minha rosa em pálidos rubores
finge pudores que já não possui...

Vejo-te arder na ultima fogueira
galopa o corpo num cavalo bravo
na cavalgada louca onde eu te amo
na luta insana que contigo travo...

Sinto teus longos braços qual cipós
colados no meu tronco enroscados
gruda-me o corpo como trepadeira
ah, deixa-me morrer entre seus nós!

Dorothy de Castro




IMAGINAÇÃO





"Gosto quando o teu desejo por mim extrapola e arrebenta todas as barreiras
que nos cercam...Gosto quando a tua calça se rasga mostrando o que provoco
na tua luxuriosa mente... E gosto ainda mais quando imagino as loucuras que
prometes se realizando em nós... Todos os meus vãos se agigantam e ficam umedecidos esperando pela sua língua esfomeada e a sua boca gulosa que deseja me devorar... E depois fecho os olhos que já se apossaram dos teus e
faço amor contigo nesse poema erótico onde nosso beijo lacra a nossa boca!"



Dorothy de Castro

domingo, 12 de julho de 2015

AREIAS POETISADAS







Que de invejar eu morra pela paixão que tenho
Em todos os ciumes de todas as mulheres
Que o meu fremente seio te avise de  que venho
Buscar o que desejo, buscar o que me deres...

Que todas essas putas respeitem meus quereres
Por que dos homens loucos és o único que quero
Porque na madrugada apaixonada espero
Ser  a fogosa amante que morre em teus prazeres...

Eu quero a poesia que leio em tua boca
Ainda que no martírio de ler-te eu agonize
E caia no teu corpo qual doidivana louca
Pedindo que me tenhas e que me poetize...

E num  inferno polar busco o calor do sol
No queimar d'um deserto de tão  brancas areias
Meu poeta que chega  de um lindo arrebol
Ansiando por mares e as malditas sereias!...


Dorothy de Castro

quarta-feira, 8 de julho de 2015

MEU ANIMAL





MEU BELO ANIMAL ÀS VEZES
ME DESEJA MAIS AFOITO...
ME PÕE DE QUATRO E SOBE
SOBRE MIM E GRITA GOZO
AFORA...MEU ANIMAL ME AMA
NESSA CAMA... ME ADORA!!!

Dorothy de Castri....

LEMBRO DE NÓS




O que fazer para que esse desejo se satisfaça
em nossos corpos distantes? O que é preciso
para que eu te mostre o gosto do meu eu quando
estou longe de ti amor meu?
Quem sabe eu me faça uma mulher safada e de
vontades vadias quando me lembro de nós...
É que hoje, aqui à sós eu passo à te querer um
pouco mais e o meu trepar contigo é algo que
incendeia o corpo, a veia...A minha voz!


Dorothy de Castro

terça-feira, 26 de maio de 2015

UMA TARDE DE SEXO

O cheiro dela fica mais agridoce que uma comida exótica que ela havia pre
parado pra ele naquele ultimo dia...Ah, esses cheiros se misturando em suas
narinas...o perfume doce que ela usa ainda  o chama sem qualquer pudor...
O ladrilho do chão parece que mostra em seu brilho a imagem da sua vulva
sem a calcinha preta enfiada no rabo branco de mulher gostosa... Que agonia,
que vontade de pegá-la pelas ancas, assim de quatro como gostavam de fazer
e foder com ela até esgotarem suas forças...Sente o membro latejando e doendo
de tanto tesão...quase sem perceber goza uma, duas, vezes alucinado, louco
desesperado porque ela não está ali...


E pode até ser irracional, talvez um desejo animal, aquela coisa de lamber
e se embrenhar nos meios das pernas da sua mulher...sua mulher,só sua...
Saber que o corpo dela ainda guarda as sensações da ultima cópula.
Um corpo minado prestes à explodir quando tocado por ele...Sabe que o
li e de repente sente o cheiro de fêmea que
ela tem tão acentuado e se joga na cama olhando para o retrato dela....Satisfeito,
no sexo solitário que a lembrança dela lhe proporcionara...Linda Foda!


Dorothy de Castro


ONÇA MATUTA






Eu tenho olheiras fatais
e tenho mais...
Um jeito de  tirar a roupa
Uma  voz  rouca...
Gostinho  danado
De beijo  suado...
Mão que não para
E uma cara...
De onça matuta
De mulher puta...
Beijo no  espelho
Sinto o joelho...
Onde me esfrego
Quando me entrego...
Língua entre os dentes
Nós indecentes...
No  chão na  cama
Você  me ama?...

Dorothy de Castro